SUA MAJESTADE, A INFORMAÇÃO!!!!!

0
Compartilhar

Neste exato instante, assim como, se movido por um impulso, não identificado, coloquei a caneta entre dedos, puxei do papel e de repente me perguntei? Escrever! Falar sobre o quê!?

Ah! Vou historiar comentar, falar sobre o valor a importância da Imprensa, da necessidade de comunicação no seio de uma comunidade, na formação social de sua gente, na sua função de circular detalhes que se fomentam na cultura de um povo, possibilitando correções de rumo, evitando transtornos públicos e privados, sempre a bem da verdade!

Dirão pretensioso… mas, o altruísmo é maior! Porque informação gera conhecimento e este liberdade de expressão para se buscar qualidade de vida e independência na busca de direitos!

Nos idos do século XV Gutenberg criou a prensa para imprimir livros, os quais eram escritos manualmente e nesse particular houve uma revolução europeia e ainda assim, com toda mobilização de época o jornal chegou ao mundo no século XVIII, depois que empresários se juntaram para difundir ideias.

No Brasil tudo aconteceu a partir de 1808 com o estabelecimento da Imprensa Régia (Imprensa Nacional), pelo príncipe regente Dom João e circulação do primeiro jornal impresso no Rio de Janeiro – Gazeta do Rio de Janeiro em setembro daquele ano, todavia, alguns afirmam que o Correio Braziliense circulou em janeiro/1808.

Consequentemente, a partir dai temos somente evolução no processo de difusão de ideias e assim surgiram o rádio, a Televisão e a INTERNET canais evidentes de informação e formação social, moral, cultural a depender da ideologia de quem as comandam ou direcionam na evidência de valores e princípios éticos e morais, consoante à política aplicada por cada uma delas seja pública ou privada!

Em Correntina já instituímos nos idos dos anos 90 a circulação de um Jornal Impresso de cunho particular de jovens idealistas, que deixou de circular em razão do ônus para rodar em gráficas, tornando o custeio inviável. Mas, a informação está no sangue, tanto que mantivemos a nossa Coluna viva!

Entendemos que a circulação de uma boa informação para formar uma sociedade sábia e consciente dos seus valores e direitos deve ser apolítica, ou melhor, não usar ou praticar de politicagem, difundir informações, sérias, verdadeiras na comunidade para que as conhecendo, possam conversar entre si, discutir sobre fatos e atos, formar juízo de valor e navegar em águas serenas, principalmente, num povo ordeiro e pacífico, alegre e festivo, como o correntinense!

É nisso que Antônio Neto e seus companheiros de ideal se juntam a cada instante via Jornal de Correntina para se somarem na defesa dos interesses da sociedade, contribuindo para que seus integrantes acordem e tenham lampejos de luz e sabedoria para buscarem direitos e honrarem deveres e obrigações, com liberdade e dignidade, saindo da subserviência!

Uma Cidade interiorana como Correntina ao conviver com as informações de um organismo que circula variáveis da postura ou comportamento dos integrantes sociais sejam pessoas ou instituições e seus similares vai sempre questionar por que falou disso ou daquele e não disso ou daquilo? Isso é da vida, próprio do obscurantismo!

Lei natural do protecionismo, daqueles que acham que políticos são intocáveis, especificamente os do seu lado, isso é retrocesso ou manter-se estagnado. O jornal deve ter isenção e sabe que se ocorrer inverdades, responderá civilmente por atos e fatos indevidos, numa sociedade participativa, proativa!

Por outro lado, os políticos ou autoridades constituídas tipo vereadores e prefeitos sabem que são vitrines, estarão sempre em evidência, uma comunidade e suas instituições giram em torno do Poder e devem se utilizar da comunicação, da circulação do jornal para educar e instruir o seu povo e não querer, em função de fatos e atos circulando no Jornal caçar bruxas no Jornal ou adjacências como represália, é de se indignar, atitudes que bloqueiam iniciativas e investimentos. A falha pode não ser da autoridade maior e sim da instituição, do órgão. A informação que circula bem avaliada é condicionante para a correção…

Esta é uma cultura a ser combatida, reavaliada. Autoridades de modo geral veem um órgão de informação ou comunicação como inimigo. Um jornal que se preza não tem político e nem bandido ou herói de estimação, muito menos cor partidária, a priori, nele basta à veiculação da informação, da noticia, do fato, da verdade e aos responsáveis a isenção de qualquer animosidade, o Jornal antes de tudo é um vigilante, um fiscal no bom sentido, da sociedade como um todo!

A missão é árdua, é desgastante, mas, este é o espírito deste colunista, que em outras oportunidades e em outros canais já se comunicou com a

sociedade e jamais usou de subterfúgios para macular pessoas ou instituições, pois o único objetivo do publicar ideias e informações é contribuir para uma sociedade melhor esclarecida e bem formada, sabendo defender direitos e cumprir deveres de ordem legal e institucional. A intenção é ser uma célula ativa no contexto da sociedade, informando, divulgando, promovendo a sociedade, a cultura, participando socialmente da vida do nosso povo!

Chegamos aqui por ideal, para curar e não abrir feridas… Para amar e não odiar… Para criar e não destruir… e eventualmente para encontrar a superação, pois, vide as circunstâncias, dores podem até serem instaladas…..vide as matérias sobre abuso da PRF em Correntina e providências encaminhadas pelo Editor.

Bem como, sobre o atendimento, triagem em nosso hospital, em defesa do povo e do gestor-mor, mostrando para as autoridades ausência de sensibilidade ou critério indevido no distanciamento entre pessoas, possivelmente acometidas do vírus, certamente gerou prevenção a partir da constatação denunciada, que temos certeza serão corrigidos porque estaremos de olho e o povo também! Já temos material circulando no exterior com comentários de participantes, ambos da América do Norte!! O povo implora por uma UTI móvel para o Hospital de Correntina!

Todavia, é mister que assim como o Jornal esteja imbuído do princípio de formatar uma sociedade mais ativa e participativa, que as autoridades não se sintam vitimas ao serem citadas, envolvidas, porque no nosso modelo administrativo nada passa longe dos poderes sejam: Legislativo Judiciário ou Executivo e informações devem fluir a bem da verdade!

Observem bem, leiam, compreendam o que está escrito, entendam o Jornal como um parceiro, não se açodem em juízo de valor caprichosamente, tenham ânimo de isenção nas censuras ou avaliações, o nosso objetivo é único, informar e contribuir com a gestão!!!!

Lembrem-se para formar e educar não se diz só amém, indignar-se é preciso para superação de caprichos e alterar modelos arcaicos! Façamos todos, exame de consciência! E vamos nos dar as mãos o objetivo é construir!

Nas nossas mensagens na Coluna do Lucinho não existirão registros de hipocrisias ou maldades existirá sempre início, meio e fim numa história de cunho verdadeiro e sei que este também é o espírito do JORNAL DE CORRENTINA, o objetivo é tornar uma comunidade mais sociável e assumida, esclarecida, quanto à busca do conhecimento e primando por melhor qualidade de vida, via sua majestade a informação! É o que como exemplo fazemos nesse instante Antonio Neto, Lucinho e Capitão Getúlio, humildade e altruísmo eis os princípios!

Lucinho/Abril/ 2021

Deixe uma resposta







Solve : *
4 × 9 =




Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.